Na disputa pelo Planalto, Bolsonaro e Haddad repetirão polarização em 2º turno

Jair Bolsonaro (PSL) teve a maioria dos votos válidos em 16 estados e no Distrito Federal. Fernando Haddad (PT) ganhou em nove.

O capitão reformado do Exército, Jair Bolsonaro (PSL), chegou perto de vencer a disputa presidencial já no primeiro turno do pleito deste dia 07 de outubro. Ele obteve 47% (49.271.414 votos) no primeiro turno das eleições, bem acima do que previam as pesquisas de intenção de voto divulgadas até este final de semana.

Bolsonaro obteve 47% (49.271.414 votos) no primeiro turno das eleições, bem acima do que previam as pesquisas de intenção de voto
Bolsonaro obteve 47% (49.271.414 votos) no primeiro turno das eleições, bem acima do que previam as pesquisas de intenção de voto

Do outro lado, o petista Fernando Haddad, herdeiro político do ex-presidente Lula, alcançou 28% dos votos válidos (31.319.499) e vai para a disputa em segundo turno com a esperança de alcançar o que hoje parece improvável, especialmente por ter de carregar o estigma de um partido considerado afeito à corrupção e com uma candidatura comandada de dentro de uma cela por um ex-presidente preso por corrupção.

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) teve a maioria dos votos válidos em 16 estados e no Distrito Federal. Fernando Haddad (PT) ganhou em nove. Ambos voltam a se enfrentar no segundo turno no dia 28 de outubro.

A campanha rumo ao Palácio do Planalto é curta: a eleição de segundo turno é no próximo dia 28, daqui a três semanas. Ambos devem, a partir desta segunda-feira, buscar alianças. A tendência é de que o chamado centrão, que no 1º turno esteve com Geraldo Alckmin, declare apoio a Bolsonaro.

Haddad deve correr para fazer as pazes com Ciro Gomes (PDT), tentar ganhar alguns eleitores de Marina e do MDB
Haddad deve correr para fazer as pazes com Ciro Gomes (PDT), tentar ganhar alguns eleitores de Marina e do MDB

Já Haddad deve correr para fazer as pazes com Ciro Gomes (PDT), tentar ganhar alguns eleitores de Marina e do MDB, e do ex-ministro da Fazenda do governo Temer, Henrique Meirelles.

É aguardar para ver. E acompanhar esta nova e derradeira fase de um dos mais tensos processos eleitorais que o Brasil já assistiu.

Os demais

Depois de Bolsonaro e Haddad, Ciro Gomes (PDT, 13.341.927 votos) figurou na disputa com 12%. Geraldo Alckmin, do PSDB, acumulou escassos 4,7% (5.095.556) dos votos deste domingo, enquanto João Amoêdo (Novo, 2.678.549 votos) surpreendeu com 2,5%.

Marina Silva (Rede), que apesar de nunca ter sido considerada favorita, amarga grande fracasso nas urnas, aparecendo com um empobrecido 1% dos votos brasileiros (1.069.452 votos), atrás de Cabo Daciolo (Patriota; 1.348.090 votos; 1,25%) e Henrique Meirelles (MDB; 1.288.775; 1,2%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar