Mata nativa em Juba recebe animais silvestres apreendidos no Ceará

Soltura dos animais foi realizada por uma equipe do IBAMA do Ceará, estado onde os animais – todos com habitat natural no Cerrado e no Pantanal de Mato Grosso - foram apreendidos em ações de fiscalização

Um casal de quatis e 20 jabutis apreendidos pelo IBAMA foram reintegrados à natureza nesta segunda-feira (03), numa reserva de 10 mil hectares de mata nativa no Complexo Hidrelétrico Juba I e II, em Tangará da Serra.

Animais foram soltos em área de 10 mil hectares de mata nativa no Complexo Hidrelétrico Juba I e II
Animais foram soltos em área de 10 mil hectares de mata nativa no Complexo Hidrelétrico Juba I e II

A soltura dos animais foi realizada por uma equipe do IBAMA do Ceará, estado onde os animais – todos com habitat natural no Cerrado e no Pantanal de Mato Grosso – foram apreendidos em ações de fiscalização e/ou entregues espontaneamente. O equipe foi coordenada pelos analistas ambientais do órgão, Wálber Feijó de Oliveira e Alberto Klefasz.

O transporte dos animais se deu em viaturas do próprio IBAMA e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Ceará (SEMACE)
O transporte dos animais se deu em viaturas do próprio IBAMA e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Ceará (SEMACE)

O transporte dos animais se deu em viaturas do próprio IBAMA e da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Ceará (SEMACE). Todo o trabalho foi acompanhado por representantes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (SEMA-MT) e pela direção do complexo hidrelétrico. A ação também foi acompanhada por alunos do curso de Técnico em Meio Ambiente da Escola Técnica Estadual (ETE/SECITEC) de Tangará da Serra, sob coordenação da professora, turismóloga e mestre em conservação da biodiversidade Gisa Laura dos Reis.

A ação também foi acompanhada por alunos do curso de Técnico em Meio Ambiente da Escola Técnica Estadual (ETE/SECITEC) de Tangará da Serra
A ação também foi acompanhada por alunos do curso de Técnico em Meio Ambiente da Escola Técnica Estadual (ETE/SECITEC) de Tangará da Serra

O casal de quatis já está à solta na reserva, enquanto os jabutis ainda passarão por aclimatação em uma área cercada na própria usina, recebendo alimentação adequada para acumularem reservas proteicas antes de serem definitivamente soltos na natureza.

Segundo o gerente do complexo Juba I e II, engenheiro Gleison Souza, a reserva de mata nativa mantida pela empresa de geração de energia continuará recebendo outros animais através de parceria com a SEMA-MT. “Somos parceiros para estas ações e a área ficará à disposição para receber animais que se enquadram neste habitat”, disse.

Gleison Souza, de Juba: Empresa parceira para soltura de animais em mata nativa
Gleison Souza, de Juba: Empresa parceira para soltura de animais em mata nativa

Além de Juba, outro local que recebeu animais silvestres foi a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) da Fazenda São Marcelo, também em Tangará da Serra.

Novas solturas

A equipe do IBAMA do Ceará seguiu ainda na segunda-feira rumo ao Pantanal Mato-grossense, onde realizará soltura de cerca de 50 papagaios, araras e tucanos, além de répteis, como lagartos teiús, tartarugas e tracajás.

Segundo o analista ambiental da SEMA-MT, Christiano Justino, nos próximos meses haverá a soltura de outras espécies na região. As reservas de matas nativas localizadas na região de Tangará da Serra e no Pantanal mato-grossense receberão animais da espécie felina (jaguatiricas e gatos-do-mato) ainda este ano. “Esta área (de Juba) é ampla, totalmente preservada, e vamos propor junto à empresa o cadastramento desta área em nosso sistema como um dos habitats para receber estes animais”, confirmou Justino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
%d blogueiros gostam disto: