Inatividade de aviários e prejudica frigorífico em Nova Marilândia

Vinte aviários foram fechados nos últimos seis meses por falta de profissional veterinário para atividade de inspeção diferenciada exigida pelo MAPA

O setor avícola passa por sérias dificuldades em Mato Grosso e já registra prejuízos tanto na indústria como entre os avicultores parceiros. O motivo é a impossibilidade de cumprir exigências sanitárias do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Em Nova Marilândia, vinte aviários foram fechados nos últimos seis meses por falta de profissional veterinário para atividade de inspeção diferenciada exigida pelo ministério.

Sem veterinário, aviários tiveram de permanecer fechados, gerando prejuízos
Sem veterinário, aviários tiveram de permanecer fechados, gerando prejuízos

O município sedia a União Avícola, uma das três unidades da indústria frigorífica BRF no estado – as outras duas em Nova Mutum e Lucas do Rio Verde -, cuja produção é destinada ao mercado nacional, ao Japão e Oriente Médio.

Segundo informações da Associação dos Avicultores do município, a indústria possui parceria com 50 criadores de frangos da região e conta com apenas um médico veterinário autorizado para fazer as inspeções. Porém, o profissional pode responder por apenas 30 unidades, o que relega outras 20 ao fechamento.

Não há previsão para que estes 20 aviários voltem a alojar frangos. Os produtores alegam grandes prejuízos, já que nos últimos meses tiveram de investir (alguns cerca de R$ 15 mil) em infraestrutura nos aviários para atendimento de exigências do MAPA. Muitos criadores alegam impossibilidade em honrar compromissos financeiros em razão do fechamento.

Com intensão de amenizar a crise, a BRF se reuniu com os representantes da Associação de Avicultores e chegou a apresentar proposta que consistiu no pagamento de diárias dos aviários fechados, mas os criadores recusaram por discordarem quanto ao valor oferecido. Apesar da negativa, as negociações continuam.

Indústria

Frigorífico tem capacidade de abate de 140 miil frangos/dia, gerando 900 empregos diretos
Frigorífico tem capacidade de abate de 140 miil frangos/dia, gerando 900 empregos diretos

]A União Avícola abate atualmente 140 mil aves por dia. Deste volume, produz 80% de frango inteiro e 20% de cortes, operando com 900 colaboradores diretos. Para a atividade de abate de frango, possui habilitações de exportação para Arábia Saudita, Argentina, Cuba, Emirados Árabes, Hong Kong, Iêmem, Irã, Japão, Ilhas Maurício, Mianmar, Peru e Venezuela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar