Cidade teria ganhos com ligação de avenida à região Bela Vista/Buritis

Extensão representaria uma obra de pavimentação de aproximadamente 1,5 quilômetro, com necessidade de dois pontilhões, já que há dois córregos no trajeto

Ampliação gradativa do perímetro urbano, aumento populacional e do número de veículos em circulação. Estas condições sinalizam que as obras de mobilidade urbana se tornam providências mais do que justificadas nas cidades, especialmente as que registram bom índice de crescimento como Tangará da Serra.

Ligação favoreceria os moradores daquela localidade urbana com o encurtamento da distância para a área central da cidade, além de ganhos socioeconômicos
Cerca de dois quilômetros de via pavimentada: Ligação favoreceria moradores com o encurtamento da distância para a área central da cidade, além de ganhos socioeconômicos

Já faz algum tempo que o município, no âmbito de suas gestões (anteriores e a atual), cogita a continuidade ao traçado da avenida Tancredo de Almeida Neves em direção à região do bairro Bela Vista e do Buritis I e II.

A extensão representaria uma obra de pavimentação de aproximadamente 1,5 quilômetro, com necessidade de dois pontilhões, já que há dois córregos no trajeto, com suas áreas de preservação.

Procurado pela reportagem, o engenheiro, economista e professor universitário Silvio Tupinambá, que também é especialista em logística, destaca que para a obra ser executada é necessário observar algumas premissas, a começar pela realização de estudos como o de Impacto de Vizinhança (EIV) e de volume do fluxo diário médio de veículos (VMD).

Tupinambá: "Ligação favoreceria significativamente a qualidade de vida dos munícipes daquela localidade"
Tupinambá: “Ligação favoreceria significativamente a qualidade de vida dos munícipes daquela localidade”

“Também é preciso estimar a população atendida e checar se o traçado do possível arruamento possui propriedade particular, o que demandaria desapropriação”, disse Tupinambá, acrescentando que também é fundamental checar se o Plano Diretor contempla esta possível expansão.

Analisando o mapa de Tangará da Serra através do aplicativo ‘Google Earth’, Silvio Tupinambá destaca que a ligação proporcionaria uma série de situações relacionadas à mobilidade urbana e, também, a aspectos socioeconômicos.

Primeiro, a ligação favoreceria os moradores daquela localidade urbana com o encurtamento da distância para a área central da cidade, que hoje tem de ser percorrida ou pela Estrada 11 em conexão com MT-480 e Nilo Torres, ou pela avenida Zelino Lorenzetti em direção à região do Tarumã. Ainda neste primeiro aspecto, seria opção de saída para quem está no centro, em direção à Linha 12, Deciolândia e anel viário.

Segundo, desafogaria o tráfego nas avenidas Ismael José do Nascimento e Nilo Torres e, em terceiro lugar, representaria valorização imobiliária àquela região e atração de investimentos.

“Evidentemente, se fosse viabilizada esta ligação, favoreceria significativamente a qualidade de vida dos munícipes daquela localidade, com ganhos de mobilidade urbana, além de otimização do tráfego de veículos. À reboque, viriam investimentos privados e públicos, favorecendo a economia do município, gerando emprego e renda”, observou o engenheiro.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura confirmou que já há um projeto de ligação das localidades com a Tancredo Neves protocolado na prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar