Representatividade: Exclusão de municípios é lição que vem de Brasília

Municípios da região somam 157 mil eleitores, contingente capaz de eleger, com tranquilidade, um deputado federal e ao menos quatro deputados estaduais

A manobra de dois senadores e cinco deputados federais para cancelar recursos de R$ 13,5 milhões que seriam destinados ao sistema público de saúde de Tangará da Serra, Barra do Bugres e Nova Olímpia reforçou a necessidade da região por representatividade em Brasília.

Representatividade na Câmara Federal: Região tem condições de eleger ao menos um deputado
Representatividade na Câmara Federal: Região tem condições de eleger ao menos um deputado

Segundo o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Martins Junqueira (MDB), é em momentos como este que se percebe a importância da representatividade na esfera legislativa federal. “Conseguimos a emenda quando tínhamos alguém lá, na Câmara Federal. Perdemos quando não houve ninguém nos representando”, disse, referindo-se ao autor da emenda, vereador Rogério Silva, que atuou na Câmara Federal de julho a novembro do ano passado, quando conseguiu reservar R$ 13,5 milhões em emenda de bancada.

Capacidade

Prejuízos à parte, a manobra de Brasília serve de ensinamento à região composta por Tangará da Serra, Nova Olímpia e Barra do Bugres e, também, por Campo Novo e Sapezal, assim como a baixada da serra de Tapirapuã, com Arenápolis, Nortelândia, Denise, Santo Afonso e Nova Marilândia.

Assembleia Legislativa: Eleitorado regional tem votos suficientes para eleger quatro deputados estaduais
Assembleia Legislativa: Eleitorado regional tem votos suficientes para eleger quatro deputados estaduais

Juntos, estes municípios possuem 157 mil eleitores, um contingente capaz de eleger, com tranquilidade, um deputado federal e ao menos quatro deputados estaduais, considerando uma quebra de sufrágio até 30% com a abstenção e os votos brancos e nulos.

Manobra

Coordenador das bancada, senador José Medeiros atribuiu suspensão a erro de ministério.
Coordenador da bancada federal, senador José Medeiros atribuiu suspensão a erro de ministério.

O cancelamento da emenda de R$ 13,5 milhões foi proposta durante reunião no mês de abril, em Brasília. Dela participaram os senadores José Medeiros (Podemos-MT, coordenador da bancada federal) e Wellington Fagundes (PR), e os deputados federais Valtenir Pereira (MDB), Ságuas Moraes (PT), Fábio Garcia (DEM), Adilton Saquetti (PRB) e Victório Galli (PSL).

Da esquerda para a direita: Wellinton, Valtenir, Galli, Sachetti, Garcia e Ságuas assinaram ata de reunião que deliberou sobre suspensão de emenda
Da esquerda para a direita: Wellinton, Valtenir, Galli, Sachetti, Garcia e Ságuas assinaram ata de reunião que deliberou sobre suspensão de emenda

O ardil dos parlamentares alheios à região cancelará recursos que seriam investidos na atenção básica e também nas estruturas de um centro cirúrgico e leitos de UTI no hospital municipal de Tangará da Serra, no custeio do hospital regional de Barra do Bugres e em unidades de saúde da família de Nova Olímpia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar