Medeiros desafia acusadores a apresentarem ofício em que pediu cancelamento de R$8,5 milhão para Tangará

O senador José Medeiros (Podemos-MT), negou ter solicitado cancelamento de empenho no valor de 8 milhões e 500 mil reais que, segundo políticos da cidade haviam anunciado, supostamente seriam destinados para Tangará da Serra. O senador desafiou quem o acusa a apresentar qualquer documento em que pede o cancelamento do empenho. Segundo ele, estão distorcendo a verdade, para acobertar a fragilidade política de um grupo mais interessado em eleição do que em fazer política da maneira correta.

“Estão distorcendo os fatos, mas a verdade é como a luz do sol. Ela aparece. E, neste caso, a verdade é que esses recursos nunca foram de Tangará da Serra. Há sim, um empenho, mas há uma decisão do próprio Ministério da Saúde que o cancelou por reconhecer que houve um erro. Isso sim, existe e pode ser verificado. Infelizmente, estão usando esse equívoco para tentar acobertar a fragilidade política deles mesmos”, explica Medeiros ao lamentar o uso de uma situação técnica com fins político-eleitorais.

“Política não se faz assim. Infelizmente tem gente que está começando e já começa do jeito errado. E não percebe que, se em algum momento esses valores foram prometidos, foram promessas vazias. Tão vazias que não se sustentam, infelizmente porque eu sou a favor da Saúde de Tangará e gostaria que esse empenho fosse cumprido, mas é tudo fake news. Infelizmente”, disse.

DEFESA DE TANGARÁ – O senador José Medeiros disse que apesar do equívoco, no momento da definição da divisão dos recursos para os municípios Tangará da Serra, que estava fora, foi incluída por ele, passando a fazer jus a R$ 1 milhão e 300 mil.

“A definição dos valores é feita pela Associação Mato-Grossense dos Municípios, que se reúne com os consórcios intermunicipais. E como Tangará havia tido um desentendimento com o consórcio, num primeiro momento ficou fora, mas eu pessoalmente providenciei a inclusão e garanti os recursos”, disse, lamentando que agora alguns políticos da cidade ainda o acusem injustamente de ter feito o inverso do que realmente fez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar