Estados brasileiros, apresentam ações preventivas contra a Febre Aftosa

 

 

A agenda de trabalhos e discussões do segundo dia, da 1ª Reunião do Bloco V, do Plano Estratégico 2017-2026, referente ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, realizado nesta quarta-feira (20) no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, foi aberta com a apresentação do Plano Estratégico.

O Plano Estratégico 2017-2026, do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) tem como objetivos, criar e manter condições sustentáveis, para garantir o status de país livre da febre aftosa e ampliar as zonas livres de febre aftosa sem vacinação, protegendo o patrimônio pecuário nacional, e de formar organizada e sustentável, consolidar a condição sanitária conquistada para febre aftosa com o fortalecimento da vigilância para doenças vesiculares.

Os estados brasileiros, foram divididos em cinco blocos pecuários para que seja feita a transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação. Integram o Bloco I, Acre e Rondônia; o Bloco II: Amazonas, Amapá, Pará e Roraima; o Bloco III: Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte; Bloco IV: Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe e Tocantins, e; Bloco V: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Juntos, os estados do Bloco V, somam um rebanho bovídeo (bovino e bubalino) de cerca de 80 milhões de cabeças, além da expressiva produção de suínos e aves. Os representantes dos serviços veterinários estaduais, demonstraram os trabalhos de vigilância, estrutura física, veículos, capacidade de pessoal da área técnica e administrativa, delimitações das áreas de fronteira, barreiras naturais, fiscalizações, barreiras sanitárias e ainda dados quanto à movimentação de animais na região de fronteira.

O Plano Estratégico está alinhado com o Código Sanitário para os Animais Terrestres, da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), em prol também da erradicação da doença na América do Sul.

 

Fonte: Gcom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar