Irresponsabilidade: Ligações clandestinas de esgoto representam riscos

O assunto foi abordado pelo vereador Ronaldo Quintão (PP) na sessão ordinária da última terça-feira da Câmara Municipal

Uma prática condenável e merecedora de rigorosa punição causando sérios transtornos, danos ambientais e riscos sanitários em Tangará da Serra. São as ligações clandestinas nas redes de esgoto e de galerias de águas pluviais muito comuns na zona urbana.

O assunto foi abordado pelo vereador Ronaldo Quintão (PP) na sessão ordinária da última terça-feira da Câmara Municipal. “O poder público precisa estar atento a estas irregularidades e tomar medidas duras”, disse o vereador, acrescentando que o cidadão deve evitar estas práticas e denunciar as que tiver conhecimento.

Galerias

A preocupação do vereador é justificável, já que não são poucos os domicílios residenciais cujo esgoto é escoado diretamente nas galerias de águas pluviais. A irregularidade acontece quando da construção ou reforma dos imóveis. Em alguns casos, os dejetos são oriundos de fossas cépticas cheias e, em outros, vêm diretamente dos sanitários e das pias. O resultado é um cheiro extremamente desagradável, fétido, acompanhado de atração de pragas como ratos e baratas, além de criadouros de mosquitos e, evidentemente, sérios riscos à saúde pública.

Rede coletora

Outro problema crônico é a ligação de canos das calhas de casas aos ramais da rede de esgoto. Nas chuvas, a água das calhas sobrecarrega a rede coletora, tendo como consequência o transbordamento dos efluentes em via pública, representando, além de mau cheiro, riscos de doenças.

Fiscalização e multas

Segundo o diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Samae), Wesley Lopes Torres, o problema tem sido verificado em vários pontos da cidade, como na Rua São João, entre o Centro e a Vila Alta. Neste ponto há inúmeras ligações de águas de calhas em ramais da rede coletora de esgoto. “Recebemos denúncias e também conseguimos detectar em fiscalizações de rotina”, disse Torres, lembrando que o procedimento adotado é notificação ao infrator com prazo de 30 dias para regularização. Em se mantendo a irregularidade, é aplicada multa e há, inclusive, possibilidade de corte de fornecimento de água.

Quanto às ligações de esgoto doméstico às galerias, a responsabilidade pela fiscalização é da Vigilância Sanitária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar