Vereador pede conclusão da rede coletora e menciona ‘dinheiro enterrado’

Fabão (PSDB) pede urgência na solução do problema e afirma que expõe reclamações de cidadãos que procuram a Câmara e o seu gabinete

Canalização da rede coletora sem ligação para tratamento. Prejuízos a moradores que já contam com o ramal mas ainda tem de gastar com fossas cépticas. Estes são alguns aspectos citados pelo vereador Fábio de Brito, popular Fabão, do PSDB, sobre grande parte do sistema de coleta e tratamento de esgoto na área urbana de Tangará da Serra.

Fabão: “Tem R$ 15 milhões enterrados aqui em Tangará da Serra numa rede de esgoto que não tem ligação para tratamento”
Fabão: “Tem R$ 15 milhões enterrados aqui em Tangará da Serra numa rede de esgoto que não tem ligação para tratamento”

Em seu pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal, na sessão ordinária da última terça-feira (03), Fabão foi bastante incisivo ao abordar o assunto. Ele destaca que o problema é antigo principalmente na região da grande Vila Horizonte, onde residem cerca de 3 mil famílias. “Tem R$ 15 milhões enterrados aqui em Tangará da Serra numa rede de esgoto que não tem ligação para tratamento”, asseverou.

O vereador acrescenta que a falta de ligação também acarreta riscos à saúde pública e gastos extras a muitos populares que possuem ramais para conexão com a rede coletora mas que, por não poderem usar o sistema, tem de suportar gastos extras. “Muitos moradores tem que continuar gastando com limpeza de fossas, pois não podem usar a rede”, disse.

Fabão faz questão de destacar que a cobrança não é sua exclusividade. “São muitas pessoas que procuram a Câmara e o meu gabinete, e é nosso dever expor o que o contribuinte reclama e cobra da administração”. O representante tucano considera a situação bastante grave e exige uma ação rápida e efetiva do Executivo, através do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). “É uma situação que precisa ser resolvida com rapidez, senão vou recorrer ao Ministério Público”, condicionou.

Continuidade

Questionado a respeito da situação levantada pelo vereador Fabão, o diretor do Samae, Wesley Lopes Torres afirmou que as obras estavam, de fato, paralisadas por questões burocráticas, que impediam a liberação de recursos. “Vamos retomar nos próximos dias, provavelmente já na próxima semana”, garantiu.

Diretor da autarquia informa que duas empreiteira - Guaxe Construção e Terraplenagem e a Coel Engenharia - já estão contratadas, num investimento total de R$ 14 milhões
Diretor da autarquia informa que duas empreiteiras – Guaxe Construção e Terraplenagem e Coel Engenharia – já estão contratadas, num investimento total de R$ 14 milhões

O diretor da autarquia informa que duas empreiteiras – Guaxe Construção e Terraplenagem e Coel Engenharia – já estão contratadas, num investimento total de R$ 14 milhões, com recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). “Vamos investir R$ 10 milhões na rede coletora e outros R$ 4 milhões no tratamento do esgoto”, detalhou.

Torres acrescenta, ainda, que a região a ser abrangida pelas obras inclui todo o quadrante entre a Avenida Ismael do Nascimento e os bairros Jardim Califórnia, Jardim Itália, Vila Horizonte e adjacências.

Ao mesmo tempo, recursos na ordem de R$ 6 milhões, oriundos do Orçamento Geral da União, serão aplicados em esgotamento sanitário na região compreendida desde a Vila Goiás até o Jardim Acapulco e parte do Jardim Tarumã.  A verba, segundo o diretor, contou com a intermediação do deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) para ser liberada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar