PP articula candidaturas na região para deputado estadual

Foco do PP está bem definido e deverá contar com chapa pura para as disputas proporcionais. Quintão e Wener são os nomes mais cotados na região.

O Partido Progressista Nacional (PP) vem finalizando seus preparativos para participar das eleições de outubro próximo e tem grandes pretensões no âmbito estadual. A sigla integra a ala de oposição ao governo de Pedro Taques.

Na região, a legenda é representada principalmente nas câmaras municipais, contando com pelo menos cinco vereadores no eixo composto pelos municípios de Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis, Barra do Bugres e Nova Olímpia.

O foco do PP está bem definido e deverá contar com chapa pura para as disputas proporcionais.  Neste contexto, a legenda quer manter a vaga que já possui na Câmara Federal – hoje ocupada pelo seu presidente estadual, deputado Ezequiel Fonseca -, e tentar impulsionar a candidatura do atual secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller. Também buscará reeleger Blairo Maggi – que hoje exerce o cargo de ministro da Agricultura – ao Senado, além de conquistar vagas na Assembleia Legislativa, que atualmente não tem.

Fonseca, presidente estadual do PP: diretório estadual optou por fechar as portas para novos filiados que tenham mandatos
Fonseca, presidente estadual do PP: diretório estadual optou por fechar as portas para novos filiados com mandatos

Estrategicamente, o diretório estadual optou por fechar as portas para novos filiados com mandatos. A interpretação dos dirigentes progressistas é que os deputados teriam mais chances contra os demais postulantes. “Ao colocar alguém que já tem mandato, a disputa não seria leal”, disse Ezequiel Fonseca, em recente entrevista à imprensa da capital.

Tangará da Serra e região

O vereador por Tangará da Serra, Ronaldo Quintão, seria um dos nomes ventilados pela agremiação para disputar uma cadeira na AL. Ele teria confidenciado a possibilidade a correligionários.

Vereador Ronaldo Quintão, do PP de Tangará da Serra
Vereador Ronaldo Quintão, do PP de Tangará da Serra

Outro nome da região que tem afinidade com Tangará é o ex-prefeito e empresário de Nova Marilândia, Wener Santos, irmão do senador Cidinho Santos. Wener, inclusive, tem peregrinado a região em busca de apoio para uma provável candidatura.

Ronaldo Quintão (acima) e Wener Santos são os nomes do partido para disputar vagas na AL pelas região
Ronaldo Quintão (acima) e Wener Santos são os nomes do partido para disputar vagas na AL pela região

Entraves

Pretensões à parte, há alguns entraves que o Progressistas precisa superar para obter êxito em seu projeto. Em âmbito nacional, o partido tem alguns membros às voltas com a Operação Lava Jato, como o senador Ciro Nogueira e o deputado Eduardo da Fonte, investigados por participação no chamado “quadrilhão do PP”.

Ezequiel e Blairo: envolvimento em escândalos de corrupção podem prejudicar campanhas.
Ezequiel e Blairo: envolvimento em escândalos de corrupção podem prejudicar campanhas.

Já em Mato Grosso, o problema da sigla está justamente nos dois principais líderes da legenda, o senador Blairo Maggi e o próprio presidente do diretório, Ezequiel Fonseca.

Fonseca enfrenta o constrangimento de ter sido flagrado recebendo uma caixa de dinheiro no midiático esquema de corrupção perpetrado pelo ex-governador Silval Barbosa. O parlamentar foi filmado recebendo o dinheiro e a cena viralizou largamente na imprensa e nas redes sociais.

Blairo Maggi, por sua vez, foi denunciado em abril deste ano pela Procuradoria Geral da República sob a acusação de compra e venda de cadeiras no Tribunal de Contas do Estado no ano de 2009, quando era governador de Mato Grosso. Sobre este caso, o Supremo Tribunal Federal ainda decidirá se abre processo, tornando réu o ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar