Pleito de outubro promete grande acirramento na briga por vaga na AL

Em Mato Grosso, o eleitorado deste ano deverá ficar em torno dos 2,3 milhões de eleitores. Tangará deverá contar com cerca de 45 mil votos bons.

O pleito de 2018 promete ser extremamente acirrado na disputa pelas 24 cadeiras da Assembleia Legislativa. O novo formato do pleito, com novas regras de arrecadação para as campanhas, o tempo de campanha mais curto e apenas 35 dias de propaganda gratuita no rádio e na TV são detalhes que levarão os candidatos a se valerem da criatividade para conquistar votos.

Quociente eleitoral para a AL deverá ser de aproximadamente 66 mil votos.
Quociente eleitoral para a AL deverá ser de aproximadamente 66 mil votos.

Em Mato Grosso, o eleitorado deste ano deverá ficar em torno dos 2,3 milhões de eleitores, considerando uma média de 3% de crescimento do contingente de eleitores entre uma eleição e outra.

A partir deste número, é possível estimar o quociente eleitoral que os partidos/coligações terão de alcançar para assegurar ao menos uma vaga na Assembleia Legislativa.

Números

Nas eleições de 2014, por exemplo, a abstenção foi elevada, com 22,91% dos eleitores faltando com o voto. Percentuais de 6,04% e 5,98% corresponderam, respectivamente, aos votos brancos e nulos. Estas quebras no sufrágio, somadas, representaram naquele ano um índice pouco acima de 32%. Desta forma, o quociente eleitoral para a AL em 2014 foi de 61,8 mil votos.

Se estes índices forem semelhantes em 2018, Mato Grosso terá um conjunto de votos válidos ao redor de 1.600.000, o que deverá representar um quociente para a AL de aproximadamente 66 mil votos.

Descrença

Por outro lado, é preciso levar em conta que a sucessão de escândalos de corrupção veiculados na imprensa praticamente todos os dias resultou na descrença do eleitorado em relação à classe política. Desta forma, é possível que a abstenção aumente, assim como os votos brancos e nulos.

Tangará

No caso de Tangará da Serra, o quociente eleitoral para a AL será praticamente o eleitorado do município que, desfalcado dos votos brancos e nulos e pela abstenção, deverá ficar na faixa dos 45 mil votos bons. A estimativa entre os partidos é que, para obter uma cadeira na AL, sejam necessários ao menos 18 mil votos, contando com a legenda.

É consenso entre alguns pretensos candidatos que para se obter sucesso na corrida à AL, sair de Tangará da Serra com um mínimo de 15 mil votos será condição básica. O restante necessário teria de ser conquistado nos municípios da região.

Se Tangará da Serra já conta com dois representantes no Legislativo Estadual, é altamente provável que ambos busquem a reeleição. Mas Tangará da Serra deverá contar com pelo menos quatro candidaturas locais a deputado estadual, além de possíveis candidatos de municípios da região que evidentemente participarão da disputa pela preferência dos eleitores em território tangaraense. Além destes, há candidatos de fora, experientes, que deverão arrebanhar algum sufrágio no município.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
%d blogueiros gostam disto: