Feiras do Centro e Vila Alta podem ter novos horários e usos diversos

Município realiza estudos para melhor aproveitamento das estruturas das duas feiras da cidade

O melhor aproveitamento das estruturas das duas feiras do produtor em caráter de múltiplo uso e em horários diferenciados já é um assunto antigo, mas que voltou à baila no âmbito do Executivo e da Câmara Municipal de Tangará da Serra.

As discussões em torno do assunto objetivam levar o poder público municipal a estudar a definição de novos dias e horários de funcionamento das feiras que podem, também, abrigar outras atividades.

O assunto já tem trânsito no Executivo, depois de ter iniciado na Câmara Municipal. De Segundo o vereador Rogério Silva (MDB), que levantou a ideia, as duas estruturas mantidas pelo município no Centro e na Vila Alta são reconhecidas em todo o Estado e são referências de qualidade. São espaços amplos que mostram a tradição da agricultura familiar no município, mas que, porém, se apresentam ociosas quando não é dia de feira. “São espaços preciosos que o município tem e que o povo gosta de frequentar. Então, por que não aproveita-los melhor?”, questionou o emedebista.

O debate em torno do melhor aproveitamento das feiras já rendeu uma boa-nova, que é a feira noturna realizada no espaço da Vila Alta todas as quartas-feiras. O público aprovou e comparece em bom número no local.

Rogério Silva observa que o assunto já é recorrente na cidade e já foi tema de discussão inclusive na própria Câmara, através do colega de plenário e partido Niltinho do Lanche. Ele destaca que Tangará da Serra possui nada menos que 3.000 pequenas propriedades e, por isso, justificaria uma mudança de postura em relação ao aproveitamento das estruturas. “Um melhor aproveitamento das nossas feiras seria positivo para o pequeno produtor e abriria espaço interessante para outros segmentos”, disse, citando apresentações e mostras artísticas, feiras de artesanato e eventos gastronômicos, além de comercialização de produtos específicos, como produtos da piscicultura, carnes, embutidos e derivados.

Assunto em pauta

A possibilidade já foi levantada pelos próprios feirantes em outubro de 2015, quando chegaram a debater, em assembleia, o funcionamento às quartas-feiras desde a madrugada até às 21hs.

No âmbito do Poder Executivo, a ideia também é fomentada. O prefeito Fábio Junqueira (MDB), defende a ideia de um aproveitamento mais efetivo dos espaços das feiras do município. O assunto, porém, não prosperou, apesar de não ter sido encerrado.

Segundo informações de alguns feirantes, a abertura em dias alternados e horários estendidos envolve vários aspectos, como a aceitação da comunidade, questões logísticas e operacionais e, também, o horário dos próprios feirantes e pequenos produtores. Também é preciso recorrer à calculadora e avaliar os custos que os novos horários representarão e a respectiva viabilidade financeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar